As pessoas com deficiência visual e o acesso à leitura

Surgida no ano 280 a.C., a biblioteca de Alexandria resistiu, durante 7 séculos, aos saques, às  invasões e incêndios. Os homens de letras e de ciências daquela época reuniram, em um só espaço, o maior acervo cultural da antiguidade.
Aquela enorme quantidade de papiro e pergaminho foi fonte instigadora de conhecimento e emoções que propulcionou a evolução da humanidade.

Nos nossos dias, vemos o aperfeiçoamento dos ideais dos comtemporâneos de Platão sendo concretizados por meio da digitalização dos acervos das grandes bibliotecas mundiais, a produção bibliográfica sendo comercializada ao mesmo tempo em papel e eeletronicamente, somada ao desenvolvimento de plataformas de armazenamento nas nuvens e os potentes motores de busca.

As pessoas com deficiência visual, entretanto, se deparam com diversas barreiras de acessibilidade no que tange à essa inesgotável fonte de informação, qual seja, o livro.
Assim como os papiros precisavam ser desenrolados para serem lidos, o livro digital precisa ser acessado por meio de leitores de telas usados pelas pessoas com deficiência visual.

Desde a mais tenra idade, a criança cega já entra em contato com as limitações decorrentes da falta de acessibilidade em materiais didáticos e de lazer. A produção de uma obra no sistema Braille, a título de exemplo, é cara e laboriosa. As tecnologias digitais tem facilitado o acesso à leitura pelas pessoas com deficiência visual, todavia ainda existem muitos embaraços a serem debelados e, nesse contexto, as discussões são pertinentes e engrandecem a construção da acessibilidade na leitura.

Nessa perspectiva, a Tecnoblind realizará, no dia 26/08/2017, às 14h30, o I Seminário on-line sobre Acesso à Leitura.
A interação  ocorrerá por meio do Teamtalk e o evento contará com importantes nomes do cenário nacional concernente ao assunto em tela.

As inscrições são gratuitas e as vagas são limitadas.

Confira a programação:

26/08/2017

  • 14h00 14:00 - Breve abertura. Explicação de como ocorrerá o evento e apresentação do roteiro. Magda Paiva, Assessora Parlamentar e Diretora de Comunicação da Tecnoblind.
  • 14:10 - A história da digitalização de obras na construção da acessibilidade digital à leitura. – Virgínia Vendramini, professora, poetisa, escultora e tapeceira artística;
  • 14:30 - As bibliotecas Braille e as transformações promovidas pela tecnologia. – Maria Eunice Suares Barboza, bibliotecária responsável pela Biblioteca Braille de Goiânia;
  • 14:50 - A Rede Nacional de Leitura Inclusiva: Ana Paula Silva, Fundação Dorina Nowill para Cegos.
  • 15:10 - A leitura por meio de linhas Braille e o uso desse equipamento na educação. Suzi Belarmino. Mestra em educação.
  • 15:30 - A compra e os formatos de livros digitais. – Laís D'Andréa Kari, graduada em Letras, servidora do Ministério Público do Estado de São Paulo.
  • 15:50 - O Tratado de Marraqueche e o acesso a leitura. – Milton Carvalho, servidor Público, diretor de comunicações da Tecnoblind, publicitário e consultor em áudio-descrição;
  • 16:10 - Escritora com deficiência visual: o processo de edição, publicação, lançamento e divulgação de uma obra. Carolina Reis Dalbon, advogada e escritora.
  • 16:30 - Espaço para perguntas;
  • 17:00 - Encerramento.

Inscrições:

Para garantir sua participação neste evento, preencha nosso formulário de inscrições. Entraremos em contato através do e-mail informado no momento da inscrição para repassar todas as orientações.

Faça sua inscrição